18/09/2017

Algumas pessoas vivem entre o passado que não superam e o futuro que lhes dá medo



Muitas pessoas já responderam a pergunta “Se você pudesse voltar ao seu passado e fazer algo, o que faria?”. A maioria diz que mudaria isso e aquilo, que não conheceria tal pessoa, que faria todo o esforço possível para conhecer outra, que escolheria determinado curso na faculdade, que não aceitaria entrar em seu trabalho atual, que iria morar em uma cidade diferente, que amariam mais as pessoas antes dela partirem, que teriam mais cuidado para não machucarem seus amigos, que passariam mais tempo com a família, e por aí vai. As pessoas tentariam transformar aquilo que elas mesmas fizeram, iriam tomar outra direção, fazer uma escolha nova e trilhar um caminho desconhecido que poderia ter mudado todo o rumo de suas vidas. Mas até hoje não inventaram a tal máquina do tempo que tem o poder de nos levar de volta aos dias passados, então a triste, ou feliz, noticia é que aquilo que temos e somos hoje é o suficiente para tomarmos uma postura diferenciada que tem também o poder de mudar nosso futuro.

Pois nunca é tarde para tomarmos um rumo que não ousamos ir antes, mas é custoso, trabalhoso e exige de nós esforço para lutarmos por aquilo que enche nosso peito de luz, que queima o coração de desejo e que nos dará uma enorme satisfação. E quanto mais se pensa nesse amanhã que chegará e o que faremos dele, algo ruim inunda o corpo e o faz tremer, pois se antes errou em algumas decisões, qual é a probabilidade de não falhar novamente agora? Qual são as chances de outra vez trilhar caminhos que levaram a abismos? O medo assusta. O medo paralisa. O medo impede o nosso agir. Mas o medo aliado a lembranças passadas que são desagradáveis faz a experiência do novo se tornar ainda pior, pois quando tentamos dar aquele primeiro passo decisivo algo em nós grita o tombo que levamos antes. Diz que pode acontecer de novo, que não há certezas, garantias, segurança. E todos esses pensamentos geram um ciclo vicioso de quando se tenta andar, então o medo vem, as lembranças nos encham, e ficamos no mesmo lugar até termos um pouco de coragem de tentar outra vez.

Porém nós não fomos criados nem para ficarmos aprisionados ao passado e nem para temermos o futuro. Não nascemos para carregar uma mala pesada por aí cheia de memórias dolorosas, mas nós viemos para o recomeço porque o Criador de tudo sabia que iriamos falhar, porém para cada novo erro Ele nos daria uma nova chance. Então ficarmos vivendo constantemente o ontem é dizer a Deus que não aceitamos o recomeço. É falar que estamos bem apesar do cansaço ao nadar num mar de lembranças e que não aceitaremos nenhum resgate, e nem sequer um bote salva-vidas. É recusar um curativo para uma ferida que não para de sangrar, é achar que podemos nos curar sem tomarmos nenhuma providência. E que o futuro não traz nada de bom para nós, que ele é nebuloso, incerto, assustador, e por isso preferimos continuar nesse pedaço de passado aonde construímos nossa casa e sabemos de tudo que existe ao nosso redor. Mas Ele novamente sussurra para nós: “Vocês não foram criados para viverem assim. Em mim há liberdade. Saiam de suas prisões”.

“Porque Sou Eu que conheço os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor, "planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro.” (Jeremias 29:11) Planos esses que podemos conhecer a medida que vamos até Ele em oração e nessa relação de Pai e filhos iremos sendo capacitados para o nosso propósito. De permitirmos nossa vulnerabilidade e nos despirmos das máscaras que nos escondem, e sermos aquelas pessoas medrosas, com lados sombrios e sonhos impossíveis, porque é mostrando o que somos que podemos receber a luz que irá nos tirar da escuridão. A luz que será o farol que mostrará o caminho enquanto vagamos perdidos em saber para onde ir. Essa luz que além de guiar tem o poder de consolar, curar o passado, secar as lágrimas e nos pegar no colo se estivermos cansados demais para andar. Essa luz que é Jesus.

Mas até para aquele que não tem fé ou tem outra crença, ainda há saídas para ele sair de seu calabouço e respirar o ar fresco que rodopia do lado de fora. O melhor jeito de começar é perdoando a si mesmo e aos outros, sabendo que todo humano é propenso ao erro e que pode ferir até mesmo quem mais ama. Reconhecendo que nós infelizmente perdemos tempos demais com coisas sem importância e que muitas vezes percebemos tarde que perdemos oportunidades valiosas ao lado de quem amamos. Mas essas certezas de nossas falhas não podem nos paralisar e sim nos empurrar em direção a reconstrução do “eu” onde seremos mudados, moldados e amadurecidos. Que o erro de ontem é um aprendizado daquilo que pode não ser mais cometido no futuro e que vamos sair dessa batalha mais capacitados para vencermos a próxima luta. Porque a vida está aqui acontecendo a todo momento e ela nos quer em movimento, não parados pelo medo, não parados pelas lembranças, mas corajosos ao ponto de pegarmos tal medo, tais lembranças, e colocarmos tudo isso debaixo do braço e irmos assim mesmo.  Pois às vezes a cura vem instantemente, mas em outros casos ela vem progressivamente á medida que avançamos sem olhar para trás. 

Escrito por: Tatielle Katluryn

Deixe algo nos cometários, pode ser uma crítica, sugestão, elogio ou qualquer outra coisa. Vou adorar receber <3 . 

Quer conversar sobre algo que sentiu em relação ao texto? Desabafar, pedir ajuda, receber conselhos ou oração? Só entrar em contato.

11/09/2017

Ela só quer sumir porque até hoje sua dor nunca foi percebida



Último mês do ano e ela já estava se imaginando usando sua melhor roupa ao estar sentada no sofá tocando na tela do celular, se via com o rosto sem expressão, mas por dentro havia uma tristeza escondida por se sentir sempre tão só no mundo e esse dia ser o pior de todos dizendo respeito a solidão. Por mais que estivesse rodeada por familiares sorridentes que traziam presentes, e outros que passavam com bandejas e panelas nas mãos, com seus primos correndo em volta e bagunçando o que sua mãe passou horas arrumando, algo em seu coração dizia que aquele não era seu lugar.

Então se encolhia no canto do sofá e tentava não levantar o rosto, mas não estava conversando com ninguém em especial, só estava rolando a tela e curtindo fotos de pessoas que estavam se divertindo ao lado de amigos, enquanto ela não tinha ninguém, pois os poucos amigos que possuía tinham seus próprios melhores amigos e estavam com eles nesse momento tão especial que para ela era comum.

Comum porque não passava um dia em que não sentia que havia de algo de errado consigo mesma, não sabia se a culpa era do seu corpo fora dos padrões, dos seus risos que quase não se faziam ouvir, ausência de assuntos interessantes para falar, desanimo para sair de casa e ir visitar quem não via há tempos. Mas sentia e não podia negar que havia algo ruim que fazia os outros se afastarem e fazê-la ser tão só.

E essas festividades de final de ano a faziam se lembrar de quem a abandonou, sentia saudade de quem não voltaria mais, a fazendo se sentir ainda mais insignificante e sem importância, por isso não havia sentido dela estar ali se estava tão infeliz, então decidiu que quando chegasse o dia era iria se levantar e sair para qualquer outro lugar, iria se misturar na multidão ou se esconder numa parte que não havia ninguém, só não aguentaria ficar ali.

Mas é como dizem, correr dos problemas não os faz sumir, então para que fugir se eles estavam guardados em seu coração? Aonde quer que fosse lá estariam seus problemas a perturbando e tirando o sono porque, afinal de contas, ela era o problema. Ela sabe disso, pois tem uma espécie de depressão moderada que se não tratada irá ser violenta, mas ela prefere ir adiando o momento que irá abrir a boca e pedir socorro. Vai indo, se arrastando, limpando as lágrimas antes que alguém veja, protegendo as partes intactas de novas quedas e botando mais tijolos nas muralhas que a rodeia.

E quem irá notar se ela for? Ninguém. Pode simplesmente se recolher em seu quarto, tirar um livro da estante e se jogar na cama que tudo ficará bem, ou pelo menos essa dor será anestesiada. Porque ultimamente ela procura meios para se entorpecer, para ficar umas horas sem sentir nada além das batidas lentas do seu coração e o som suave da sua respiração subindo e descendo em seu peito. Mas ás vezes nem mesmo os livros resolvem porque eles dão uma amostra de quem ela é e não há nada pior do que se ver nos personagens.

Então fica a pergunta sobre o que ela irá fazer já que fugir não adianta seja para lugares distantes ou o próprio quarto. O que se recomendaria a essa moça que só quer se esconder onde não poderá ser encontrada pela infelicidade e sentimento de inferioridade? Acredito que a resposta não seja tão clara quando gostaríamos de dar, mas por se só já é mais do que o bastante para ela se libertar de todo esse peso que carrega por não aceitar quem é.

Ela precisa antes de tudo saber que há um Deus que a ama do jeito que ela é, mesmo que a maioria das pessoas não consegue ama-la Ele pode porque é o próprio Amor. Deus quer que ela seja livre desses sentimentos que só a fazem sofrer, Ele quer que essa menina se permita o amor próprio, que pare de perseguir a perfeição, que derrube os muros e deixe as pessoas entrarem, que deixe de lado seus medos e inúmeras desconfiadas porque se continuar assim não conseguirá se relacionar não ninguém.

Eu sei dos medos dela, pois essa garota já confiou e teve sua vida virada de cabeça para baixo, e depois viu pessoas se afastarem sem saber o motivo, então ficou procurando as razões e botando a culpa em si mesma. Mas ela é bonita do jeito que é por mais que não aceite, tem um coração disposto a amar mesmo que esteja quebrado, só precisa parar de olhar para baixo e tem que se envolver mais com as pessoas a sua volta porque nem todos tem a intenção de machuca-la, alguns só querem estender a mão e ajuda-la a enfrentar os próprios demônios. Então, que ela se permita, liberte, prossiga, porque Deus a botou nesse mundo para ver a luz e não viver em trevas.

P.S: Se puder, e quiser, deixe algo nos cometários, pode ser uma crítica, sugestão, elogio ou qualquer outra coisa. Vou adorar recebequalque.

Quer conversar sobre algo que sentiu em relação ao texto? Desabafar, pedir ajuda, receber conselhos? Só entrar em contato.

04/09/2017

Você não é um problema por sofrer com um sorriso, ser tímido e não saber expressar o que sente



Para aqueles que são calados, tímidos, contidos, meio sérios, tem vergonha de muita coisa, temem a rejeição e não gostam de multidões, queria dizer que eu entendo como se sentem. Eu sei como é olhar em volta e perceber que ali não é o seu lugar, mas que se der mais uma volta em busca desse tal “lugar” não irá encontra-lo, pois há algo dentro de você que não te deixa se sentir pertencente a quase toda realidade que te rodeia. A gente vive abaixando a cabeça quando passamos pelas pessoas, calamos nossa voz quando temos uma opinião para dar, ficamos com o rosto vermelho se riem de nós. E o ruim é pensarmos que há algo de muito errado com nosso jeito de ser, que devemos mudar a qualquer custo, sermos outras pessoas, buscarmos o impossível se preciso for, mas que precisamos nos transformar, pois a nossa personalidade não é atraente, bonita e nem cheia de vida como uns dizem por aí.

Mas você não é alguém ruim porque tem dificuldade em se expressar em público, e também não é frio porque não consegue abraçar e dizer que ama os seus amigos e familiares. Mas você é uma pessoa que tem emoções dentro do peito, que tem uma alma repleta de sonhos, criatividade e ideias para melhorar o mundo obscurecido pela maldade. Você, assim como eu, tem seus traumas de infância quando era forçado a agir de um jeito atípico, quando as pessoas queriam um movimento seu que não condizia com seus hábitos, mas se não fizesse algo iria aparecer uma pessoa totalmente fora dos padrões com sérios problemas emocionais e psicológicos. Mas o que a gente fez depois disso? Seguiu em frente. Mesmo que nesse “seguir” aja atrás de nós uma mala com dores não curadas que saímos arrastando por aí como se fossem troféus, quando na verdade são cicatrizes das guerras que lutamos sem ninguém perceber.

Somos especialistas em sofrer com um sorriso no rosto. Temos pós-doutorado em chorar com o travesseiro do rosto para abafar os soluços e no outro dia se alguém perguntar sobre os olhos inchados vamos dizer que é algum tipo de alergia. Somos pessoas incríveis, mas nós não acreditamos nisso. Dificilmente vamos elogiar a nós mesmos apesar de nossos esforços e conquistas, mas vamos dizer que nem foi tão bom assim, que fulano de tal fez melhor e que ele sim merece. Não sabemos também receber elogios e nem críticas, tudo parece a mesma coisa e se embola enquanto nosso rosto pega fogo de tão vermelho. Mas o que a gente faz? Continua como se tudo estivesse bem. Vai andando pelo meio dos outros torcendo para que alguém perceba aquele lado que escondemos, aquela luz que insistimos em tranca-la numa torre alta, e queremos que esse alguém nos veja além daquilo que já disseram sobre nós, e que esse alguém não tenha medo de se aproximar, mas que veja nisso uma oportunidade de descobrir aquilo que quase ninguém conhece.

Mas se por um acaso, ou por propósito de Deus, alguém desse tipo se aproximar nossa primeira reação é correr, porque imaginamos se alguém gostar de nós deve ser maluco e muito carente, então é melhor manter distância. Porém a pessoa, na maioria das vezes, é alguém comum, também com seus defeitos, erros e medos como eu e você temos. Porém a gente se coloca num nível tão abaixo do mar que nos vemos como escolhas não tão boas, então é melhor correr para se proteger. Mas se a pessoa insiste em nos conhecer melhor, se ele ou ela amar nosso sorriso raro e tímido, se tiver algum gosto literário ou cinematográfico como o nosso, compartilhar a mesma fé, algumas resistências nossas vão caindo. Vemos o outro não como um perigo iminente, mas como um ser humano normal, que talvez, só talvez, poderá nos fazer feliz como sempre sonhamos. Porque pessoas como nós tem um lado pessimista bem desenvolvido e tem dificuldades em imaginar um amanhã mais bonito, ensolarado e promissor. Que podem até ter fé em Deus, como eu tenho, porém no fundo ficam com medo do que pode acontecer e acabam deixando a confiança no Senhor de lado.

Mas apesar de tudo isso nós não somos o problema, porém temos alguns problemas. Nós temos dificuldade em nos relacionar quando os seres humanos são, cientificamente e religiosamente falando, seres sociais criados para o relacionamento.  Cada um de nós descende de duas pessoas e essas duas pessoas descendem de mais duas, e no meio disso há mais pessoas que chamamos de tios e primos. Porém há uma diferença entre quem é carismático e quem é mais tímido, os dois tem personalidades diferentes, porém os dois tem um jeito totalmente humano. Não é porque uns falam demais, sorriem demais, tem amigos demais, que eles são melhores do que aqueles que falam de menos, sorriem de menos e tem amigos de menos. Apenas são pessoas pertencentes a grupos distintos, mas que ambos têm suas qualidades, ensinamentos e beleza, muita beleza. Porém se nós próprios fechamos os olhos para quem nós somos e ficamos pensando que somos um grande problema que ninguém consegue resolver, nunca iremos nos aceitar e consequentemente nunca conseguiremos nos amar.

Temos que olhar para quem somos e vermos que também temos nosso lado bom, bonito, empolgante e cheio de vida, só que ele é expresso de forma diferente, mas não quer dizer que esse nosso lado não exista. Nós também amamos, porém o nosso modo de demonstrar esse amor é muito mais por atitudes do que por meras palavras. Somos pessoas criativas, sensíveis, e que tem empatia pelos outros e gostamos de ajudar, só que não levamos muito jeito para deixar as pessoas fazerem parte integral de nossas vidas. Temos medo de baixar as armaduras e recebermos pancadas, porém é só ter cuidado com quem se aproximar, conhecer bem para ir se abrindo aos poucos. E não tente ser o que você não é. Não se force a falar, a gritar, a se jogar em cima dos outros. Não se obrigue a ir a lugares lotados para se encher de vazio como muitos fazem. Não precisa segurar ninguém do seu lado porque tem medo de ficar só, pois o amor verdadeiro deixa livre porque sabe que se for para ser ele ficará para sempre.

E uma coisa que aprendi com Deus é que apesar de eu não ser tudo que deveria, a cada novo amanhecer eu sou melhor do que era no dia anterior. Que com o Espirito Santo eu aprendo a amar, a me alegrar, ter paciência, paz, bondade, ser fiel, calma e domínio próprio sobre aquelas emoções ruins que querem governar minha vida. Eu sei que minha personalidade será a mesma, que se eu me forçar a ser outra pessoa irá doer demais, porém eu sei que como todo ser humano eu preciso de alguns reparos que irei fazer, porém consciente de que a perfeição nunca será alcançada, mas que pior eu não vou ficar. E que as pessoas que vão ficar do meu lado serão aquelas que amarão meu jeito e irão entendê-lo, que eu não precisarei usar máscaras para ser aceita e sim deixarei minha alma ser quem ela é. E você também pode com esses princípios saber que ficará bem. 


Escrito por: Tatielle Katluryn

Deixe algo nos cometários, pode ser uma crítica, sugestão, elogio ou qualquer outra coisa. Vou adorar receber <3 E se quiser me ajudar clique nos anúncios.


Quer conversar sobre algo que sentiu em relação ao texto? Desabafar, pedir ajuda, receber conselhos ou oração? Só entrar em contato.

28/08/2017

Antes de buscar um relacionamento com uma pessoa seria bom termos intimidade com Deus



Nunca antes eu havia pensado dessa seguinte forma: não foi Adão quem disse a Deus que não era bom que ele continuasse solteiro, mas foi o próprio Deus que olhou para Adão e chegou a essa conclusão, então logo depois se pôs a dizer “Vou fazer para ele uma companheira, uma auxiliadora que o corresponda” (Gênesis 2:18). Assim o Senhor o fez dormir profundamente e retirou uma costela para dali fazer Eva. Sendo Eva uma parte de Adão, por isso “esta é a razão pela qual o homem deixa o seu pai e sua mãe e se une á sua mulher, e os dois se tornam um só ser” (Gênesis 2:24). Dois inteiros que juntos irão transbordar, que irão juntar suas diferenças e semelhanças para construírem uma vida juntos. Mas o curioso da história continua sendo o fato de Adão não ter pedido a Deus que Ele lhe fizesse uma companheira, pois Adão observava os animais do Jardim e todos eles eram macho e fêmea que se reproduziam, porém ele era o único no meio da criação que não tinha uma companheira ao seu lado.

Não sei por quanto tempo Adão ficou solteiro no Jardim. Por quantas vezes fez caminhadas no final da tarde para encontrar Deus e não sentia que algo faltava ali; por quantas vezes no frio da noite não sentiu vontade de ter alguém para lhe abraçar e aquecer; por quantas aventuras viveu ao desbravar o Éden e se não pensou que tudo aquilo seria melhor com uma pessoa o acompanhando. Mas o que eu entendo, e não sei se você pensa assim, que a relação com Deus era o suficiente para Adão ao ponto dele viver todos aqueles dias sem pedir ao Pai que lhe fizesse uma pessoa para se tornarem uma só carne e para juntos terem filhos. Pois quanto mais Ele conhecia a Deus, mais para ele o Senhor era o suficiente. Não menosprezando o papel da mulher, pois eu sou uma, mas é perceptível que o primeiro amor é de fato aquele que deveria haver entre nós e Deus antes de qualquer outra pessoa surgir na nossa vida. Porém hoje em dia o que se observa é a cada vez mais crescente busca por relacionamentos entre as pessoas, enquanto buscar a intimidade com Deus é escassa.

É esquecer que o primeiro amor é sobre uma criatura e seu Criador, e que juntos eles podem construir uma relação que seja firme, sincera e duradoura, pois não há motivo maior que o relacionamento para Deus criar as pessoas, porque anjos Deus tem aos montes para lhe adorar e servir, porém Ele queria mais do que somente adoração e servidão, Ele queria filhos e amigos. E quando Adão se ver bem o suficiente para continuar somente com Deus no Jardim, quando o foco dele era amar o Senhor, quando ele se encontrava no centro da vontade do Pai e o seu maior prazer era estar em sua companhia, em lhe ouvir, em lhe ver e lhe amar, Deus percebe que finalmente o homem estava pronto para amar uma outra pessoa. Uma coisa que descobri recentemente com o aprofundamento do meu relacionamento com Deus, e infelizmente quem não tem um pouco dessa intimidade não irá entender o que irei dizer e achará um absurdo, mas a verdade é simples e clara: antes de buscarmos um relacionamento com uma pessoa precisamos ter uma relação com Deus. Assim como era com Adão o primeiro ser humano desta Terra.

E eu aprendi esse fato com uma pessoa que admiro muito, pois quando lhe perguntam se ele não está orando por uma namorada ele diz que não porque Adão não orou por uma mulher e Deus lhe deu. E esse rapaz foi a pessoa usada pelo Espírito Santo a me levar de volta ao primeiro amor e a buscar ter intimidade com Deus. Então hoje eu posso entender porque ele disse algo que para alguns é tão ridículo e até mesmo anticristão. Já que praticamente todas as lideranças de jovens quando falam sobre relacionamento os incentivam a orarem para terem uma pessoa, para não se entregarem ao primeiro ou primeira que aparecer, mas para saberem se aquela pessoa é a que Deus quer que fique com eles o resto da vida. O que não é errado e nem ruim, porém a falha se encontra no fato das pessoas se preocuparem tanto com um namoro, noivado e casamento, que se esquecem que há um relacionamento anterior a esses que devemos buscar e fazê-Lo ser o motivo de nossas orações sobre relação amorosa. Mas Deus não sujeita ninguém a esse tipo de coisa e por isso Ele abençoa aqueles que buscam Nele um casamento bom e feliz, pois de fato o seu segundo maior projeto é a família, porque creio que o primeiro seja a relação ser humano com Deus.

E é exatamente por isso que a cada dia a minha busca se tornou ter um relacionamento mais intimo com o Pai, pois o amor que eu sinto por Ele se mostra o suficiente para eu não sofrer decepções, não ser traída pela pessoa errada e nem correr o risco de ser deixada, e que se Ele me amou primeiro não existe chances de não haver reciprocidade. E que quando a minha maior vontade é conhecê-Lo, naturalmente Ele trabalha ao meu favor para que eu conheça algum dia, Ele que sabe, o meu futuro marido que unirá o seu propósito ao meu, e juntos serviremos ao Senhor. Mas por enquanto eu me sinto o bem suficiente somente tendo Ele como meu maior amor e talvez eu conseguiria passar mais uns anos assim, por mais que as vezes me pego sonhando com o tal “príncipe encantado” e fico me perguntando “será ele? Ou aquele ali?”. Porém, eu sei que o meu futuro marido, se estiver nos planos do Senhor que eu tenha um, está escondido no mesmo propósito que é buscar primeiro o Reino de Deus e as demais coisas lhe serão acrescentadas.


Que ele tem, sem coincidência, o mesmo objetivo que eu que é me achar em Jesus e ser mais parecida com Ele, e que se continuarmos caminhando na direção dos braços do Pai em algum momento iremos nos “topar” pela estrada, e Deus irá nos apresentar. E pense numa coisa que não é perca de tempo e que se você começar hoje sentirá o mesmo amor suficiente que enche o meu peito, mas que não despreza a relação com os outros, mas faz ama-los mais ainda, só que colocando Deus no topo e O amando mais que ama as outras pessoas. 

Escrito por: Tatielle Katluryn

Deixe algo nos cometários, pode ser uma crítica, sugestão, elogio ou qualquer outra coisa. Vou adorar receber.

Quer conversar sobre algo que sentiu em relação ao texto? Desabafar, pedir ajuda, receber conselhos? Só entrar em contato.